Arquivo do mês: maio 2006

Camara nao vai aprovar direito de cidadania dos imigrantes

A negociacao da lei de imigracao votada essa semana no Senado passa para a Camara. Na falta de consenso, o unico homem que pode impedir a lei de ser arquivada e o Presidente Bush.
Mas, o que todos sabem de antemao, e que a Camara nao vai aprovar o caminho para cidadania para os imigrantes indocumentados. Eles seriam, parafraseando um amigo do blogger, “os sem-pais”. Nao participariam da vida politica do pais (pelo menos, diretamente), mas estariam aqul legalmente mesmo sem ser norte-americanos, o que se descreve aqui como os “underclass” (abaixo da classe, sub-classe).

Imigrantes desconfiam da nova lei de imigracao

Um dos criterios para as pessoas que estao aqui de 2 anos a 5 anos e a exigencia da volta ao Brasil. A maioria dos imigrantes indocumentados entrevistados por esse Blog declarou que ve essa medida com desconfianca.
Depois de estar no Brasil, que medidas os Estados Unidos adotariam para que o imigrante tivesse sua reentrada no pais garantida? O que faz tao necessario uma volta ao pais de origem? Sao perguntas ainda nao respondidas.

Senado dos EUA aprova lei a favor dos imigrantes

Revisão da Lei de Imigração beneficia milhões de imigrantes indocumentados nos EUA

Washington – O Senado dos Estados Unidos aprovou uma revisão da lei de imigração que pode dar a milhões de imigrantes ilegais a chance de se tornar cidadãos norte-americanos, enquanto os que a apóiam esperam uma batalha acirrada com a câmara.

A maioria dos cem membros do Senado votou a favor da lei que une o reforço da segurança da fronteira a um programa de trabalhadores-convidados e a um plano que pode conceder a cidadania norte-americana aos cerca de 11 a 12 milhões de imigrantes ilegais que vivem no país.

É a mais ampla lei de imigração em duas décadas que deve ser fundida com uma lei diferente que tramita na câmara que pede uma segurança mais dura na fronteira e sanções. Não está claro se os parlamentares podem resolver suas diferenças antes das eleições para o Congresso, em novembro.

Imigrantes aguardam com ansiedade decisão do Senado

Os cerca de 11 milhões de imigrantes em solo norte-americano aguardam com ansiedade a votação do Senado amanhã.

Reunidos, os 100 senadores dos Estados Unidos vão tomar uma decisão que vai ter repercussão no país inteiro. Definitivamente, a mão de obra dos imigrantes será valorizada (ou não).

Mas a tendência é para a aprovação de uma lei em benefício dos imigrantes.

Copa do Mundo: Visita do Presidente do Irã preocupa Alemanha

Matéria do “Boston Globe” de hoje relata que a Alemanha está “temerosa” de uma visita do Presidente do Irã na Copa do Mundo. Mahmoud Ahmadinejad, o homem número 1 que nega o Holocausto, anti-Israel, deve ir à Copa do Mundo acompanhado da seleção iraniana.

Pelo que pude apurar na matéria, existe é interesse de Washington em impedir a entrada de Ahmadinejad na Alemanha.

Ele joga bola ;). Veja no link abaixo:

http://www.boston.com/news/world/europe/articles/2006/05/23/iran_leaders_love_of_soccer_worries_world_cup_host/

Leia a minha mais recente coluna

Acompanhe no link abaixo:

http://www.radiocriciuma.com.br/portal/mostraconteudo.php?id_colunista=15&id_conteudo=612

Voto distrital nos Estados Unidos

Nos Estados Unidos o voto é distrital para os deputados estaduais e federais. Funciona muito bem. O deputado é eleito para lutar a favor de uma determinada região eleitoral.

O deputado estadual James Eldridge foi eleito por uma região de 5 pequenas cidades. Focaliza sua atenção somente nessa região, vai desde festas pessoais a encontros locais. Tem a agenda lotada com votações na Casa Legislativa, eventos em sua cidade e fundraisers.

Fundraisers são eventos programados para coletar fundos para a campanha do deputado. Nele a comunidade e convidada a participar, mas leva um valor em dinheiro e janta junto com seu deputado. Assim o candidato cria seu caixa de campanha para a eleição que ocorre de dois em dois anos.

O deputado leva consigo um bloco onde anota nomes e telefones de eleitores, e costuma ligar para manter um contato constante. No caso de James, ele costuma ligar e iniciar a conversa para saber como vai a vida pessoal do suposto eleitor. E, depois, vêm os temas políticos.

Por ser um sistema tão bom, o deputado que se isola e não mantém  um contato com sua comunidade, perde as eleições.

Um instrumento que o deputado James usa para estar em dia com os eleitores é o email. E na campanha costuma visitar as casas de porta em porta, sendo muitas vezes confundido com as Testemunhas de Jeová.

Estando perto do eleitor, James tem que assumir publicamente qualquer posição que tenha.  E o eleitor só o ganha com tudo isso.