O dia em que vi Halle Berry

Em meados de fevereiro a Harvard escolhe um homem e uma mulher para receberem uma homenagem dos alunos. Os escolhidos desse ano foram Richard Gere e Halle Berry, dois nomes bem fortes do mundo do cinema.

Halle Berry é exatamente como se vê na TV, sorriso lindo, cabelos soltos e lisos (como quando foi na Harvard). Ela estava muito simpática em sua exibição, onde deu um beijo na boca de um aluno, depois de sentar em seu colo. Foi muito criticada pelo filme “Mulher Gato”, mas não se ofendeu. “She is a good sport”, diziam os fãs, ou seja, ela leva as coisas com facilidade.

O que mais me decepcionou com Halle Berry foi a frieza com que tratou um grupo de fãs que a esperava no lado de fora, e também a frieza com que tratou a imprensa de Boston. Ela simplesmente saiu pela porta de trás, entrou na limosine e o motorista deu a partida.

O grupo de fãs não era grande, o ego da Halle foi bem maior. O que eles queriam? Autógrafos.

O que ela ganhou do pessoal da Harvard? O Hasty Pudding Award, um prêmio que consiste de uma taça para pudins (mas engloba outros “presentinhos” também)

Os comentários estão desativados.