Arquivo do dia: 15/04/2007

A Semana:Radialista influente de Nova York perde o emprego após declaração infeliz

Don Imus (pronuncia-se ái-mãs) foi o herói de uma era. O locutor cowboy, que sempre manteve sua fúria acesa, foi o assunto da semana. Imus já bateu boca com todo mundo. Mandou senadores para o espaço, ofendeu influentes donos de redes de comunicação e mantinha um estilo de programa que não tolerava abobrinhas de nenhum político.

O estilo forte e a voz grave e imponente lhe garantiram audiência de costa a costa. Seu talk-show era transmitido para várias estações dos Estados Unidos e em único dia o apresentador recebia ligações do Presidente dos Estados Unidos e de senadores tão importantes como John Kerry e John McCain. Brincava com todos. E falava na cara deles, ou no ouvido, o que pensava.  O poder nunca o assustou. As drogas o levaram a extremos no ar. Passou batido com inúmeras piadas machistas e arrogantes. Via sua influência aumentar e a conta bancária triplicar com anunciantes de peso em seu programa.

Na semana retrasada, antes da Páscoa, uma semana sem notícias, fez um comentário infeliz. Chamou jogadoras universitárias da Rutgers de “prostitutas de cabelo em pé” fazendo uma alusão racista às jogadoras negras. Em minutos, seus comentários foram reproduzidos na Internet, ganharam espaços em blogs e viraram notícia em jornais no dia seguinte. Dessa vez Imus não passou batido. Depois de Dan Rather ser derrubado de um emprego praticamente vitalício na frente de um jornal nacional pelos blogs, chegou a vez de Imus, o homem do programa que começava às 5h da manhã e debochava dos entrevistados até as 8h.

Imus perdeu a cabeça no seu comentário infeliz. Seus chefes o suspenderam inicialmente por duas semanas. Mas, devido ao impacto causado, vários convidados de seu programa afirmaram que não iriam aparecer mais por lá. Imus conservou o bom humor. Pediu desculpas em diversos programas. Recebeu uma ligação. Os patrocinadores estavam fora do programa. 

O programa de rádio, que era mostrado na TV cabo, perdeu esse direito na quarta-feira. A rede MSNBC não tinha mais interesse no locutor arrogante.  

Em uma semana pobre em notícias, com Bush fraco em fim de mandato, Imus foi o assunto de todos os dias da semana em todos os jornais. Como resultado, o clamor popular aumentou e Imus acabou a semana sem emprego aos 66 anos de idade.

O que Imus ganhou? Deve ser o nome mais presente no Google durante o domingo chuvoso de hoje.