Arquivo do dia: 25/07/2007

Leitores do blog: Murilo de Bem e Fernando Borges

s5031330.jpgHoje o blog tem a honra de apresentar dois leitores do blog. Os dois moram na região de Boston, e são de Santa Catarina.

Fernando Borges (à direita) é proprietário da Di Capri Pizza em Acton, Massachusetts e trabalha junto com Murilo de Bem (à esquerda). Fernando é de Arroio do Silva, Santa Catarina e Murilo é da vizinha Araranguá. Como os demais leitores do blog, eles sonham com um Brasil melhor mesmo diante das atuais adversidades.

Fernando pretende voltar para o Brasil e participar mais ativamente da vida política local. Murilo torce pelo sucesso do amigo.

Rupert Murdoch poderá acabar com a independência do Wall Street Journal

wsj.jpgA família Bancroft é a principal controladora do jornal, que tem credibilidade nos Estados Unidos. O magnata da mídia, Rupert Murdoch, dono da Fox, o canal mais conservador e pró-Bush do país, quer comprar o Wall Street Journal. Ele oferece 60 dólares por ação, cada ação hoje vale 30 dólares. Na crise atual dos jornais no mundo, com queda de circulação e crescimento da Internet como meio de informação, é uma ótima oferta para a família Bancroft, digamos, do ponto de vista financeiro.

A tarefa de Rupert Murdoch, em um hotel de Boston essa semana, tem sido de convencer a família que é um negócio bom para o jornalismo norte-americano. Com o Wall Street Journal nas mãos Murdoch vai mudar a linha editorial do jornal e começar a competir com o New York Times. O problema é que dificilmente a área editorial do jornal ficará livre de interferências do chefe, que também é dono do Times de Londres.

No calor da campanha presidencial de 2004 o New York Post, outro jornal do poderoso australiano Rupert Murdoch, publicou na capa que o então candidato à Casa Branca, John Kerry, teria escolhido Dick Gephardt como seu companheiro de chapa. Foi uma das barrigas mais memoráveis da imprensa dos Estados Unidos. O escolhido para candidato a vice-presidente foi John Edwards e a fonte da informação errada foi Rupert Murdoch, que repassou para os editores a suposta revelação.

O futuro de um dos melhores jornais norte-americanos está ainda incerto. Mas se a venda se concretizar (a contragosto da redação do jornal e de alguns membros da família) o jornalismo nos Estados Unidos tem muito a perder e pouco a aprender com o magnata.