Arquivo do dia: 09/08/2007

Brasileiro morre após ser detido pela Imigração

O brasileiro Edmar Alves de Araújo morreu horas depois de ser detido pelo Serviço de Imigração dos Estados Unidos na tarde da última terça-feira (7).

Ele morava em Milford, Massachusetts (50 Km de Boston) e foi para Rhode Island para visitar sua irmã Irene. Na viagem de carro foi parado pela polícia de Woonsocket (cerca de 15 minutos de Providence), que descobriu que havia uma ordem de deportação contra o brasileiro.

Assim que foi parado pelo policial por volta das 12 horas, Edmar entrou em contato com sua irmã, pedindo que trouxesse seu remédio, Gardenal. Ele tinha epilepsia e precisava de doses diárias do remédio, conforme conta sua irmã.

No centro de detenção, por volta das 15 horas, ele passou mal e teve um ataque epilético, e os agentes da imigração discaram o número de emergência (911). Os agentes afirmam que Edmar foi levado ao hospital e veio a falecer por volta das 16 horas.

A irmã Irene Araújo afirma que tentou duas vêzes entregar o remédio aos policiais em Woonsocket, mas eles não aceitaram dizendo que “se ele quisesse o remédio, ele mesmo pediria.”

O médico legista vai determinar a causa da morte. Autoridades federais estadounidenses vão investigar o ocorrido.

Edmar Alves de Araújo é da cidade de Ipatinga, Minas Gerais, de uma família de 10 filhos. Ele pretendia voltar ao Brasil no final deste ano. Trabalhava em um posto de gasolina e pretendia se mudar para Rhode Island com a irmã e o irmão, e trabalhar como pintor. Morava há cinco anos em Milford.

“Quando meu irmão foi preso eu tinha receio de ligar para minha mãe e contar o que tinha acontecido, que ele iria ser deportado. Agora nem sei mais o que dizer para ela”, declarou Irene Araújo ontem.

edmar.jpg

Edmar e a sobrinha Adaias em foto da família. 

Estados Unidos planejam aumentar pressão sobre empregadores

De acordo com o New York Times, o governo dos Estados Unidos vai aumentar a fiscalização nos números de Social Security (O CPF norte-americano) fornecidos nos postos de trabalho após a não-aprovação da reforma da lei de imigração. Nos próximos dias deverão ser anunciadas regras que punirão o empregado que utilizar documentos falsos com demissão.

Os empregadores serão fiscalizados e punidos com maior rigor, declarou o porta-voz do Homeland Security (Segurança Nacional). Cerca de 10% dos 250 milhões de relatórios enviados anualmente ao Departamento de Seguridade Social não estão corretos e representam números falsos do Social Security ou erros no sistema de dados.