Arquivo do dia: 01/12/2007

A hora de Obama

O que começou com um apoio aqui, outro lá, geralmente em entrevistas de gente influente da Costa Oeste dos Estados Unidos, ganha agora um ritmo extremamente forte. Barack Obama, o único candidato negro rumo à Casa Branca, tem um dos discursos mais sinceros de Washington e, mesmo nesta etapa da campanha, em que candidatos insistem em manter posições confusas sobre assuntos como imigração e o sistema de saúde dos Estados Unidos.

Obama não tem medo de perder votos, ele tem certeza de que falando abertamente no que acredita tenha chances de conseguir votos fiéis, que o ajudarão em cada estado com seu poder de multiplicação. É o candidato que mais se afasta de lobistas e de dinheiro de grandes empresas. Marca pontos com o voto latino quando diz é a favor de uma reforma imigratória (é verdade, ela está de volta ao debate político).

Na saúde o presidenciável acredita num sistema misto que não deixe de lado os necessitados. E, embora esse discurso pareça óbvio, muita gente da direita nos Estados Unidos crê que o sistema deva cobrar caro de todos, mesmo de quem não tenha como pagar.

Nos últimos dias a candidatura da ex-primeira-dama Hillary Clinton perdeu o gás que manteve durante todo o verão. Em Iowa, estado decisivo na corrida eleitoral, ela pode perder as primárias em 3 de janeiro, e suas atenções hoje em dia estão voltadas para o estado vizinho de New Hampshire, com primárias em 8 de janeiro.

New Hampshire é um estado de política paroquial, onde mulheres e a Igreja Católica unem as forças em favor de candidatas. Mas o risco aumento sensivelmente. Uma derrota em Iowa poderá mudar os resultados em New Hampshire. Catapultado por um possível momento político, Obama pode roubar as luzes da candidata, que aparenta um ar de cansaço bem maior nas fotos ao invés do rosto esticado de boneca dos primeiros meses.

Em tempos, a revista Time nas bancas fala de Barack Obama e de sua influência na política (e vice-versa).

obama.jpg