Primeira decisão: Iowa

Nos últimos dias, refletindo tendência já apontada aqui, a candidatura do Democrata Barack Obama vem subindo em popularidade. Pelo grande público norte-americano o senador Obama é visto como um candidato mais independente dos Democratas. Obama é contra a influência dos lobistas nos Estados Unidos. É candidato de mudança.

Hillary Clinton é a estrela maior do Partido Democrata, beneficiada pelos anos como primeira-dama na Casa Branca, pela experiência no Senado representando o importante estado de Nova York e pelo sobrenome expressivo. O nome Clinton pode lhe ajudar a chegar ao poder ou atrapalhar sua trajetória ao posto político mais alto do país.

No lado republicano também há nomes importantes. John McCain, senador pelo Arizona, o homem responsável pelo projeto de imigração em 2006, que ajudaria 11 milhões de imigrantes no país, é o nome mais respeitado dentro e fora do Partido Republicano.  McCain tem mais prestígio que Romney e Giuliani, mas não emplaca como candidato presidencial.

Romney, depois de não fazer sucessor em Massachusetts, onde foi governador, tenta se projetar nacionalmente. É anti-imigrante e sua visão política é muito limitada para quem um dia anseia representar os Estados Unidos no mundo.

Giuliani, ex-prefeito de Nova York, teve seu nome em destaque após 11 de setembro. Seu índice de popularidade era bem baixo antes da histórica data.

No dia de hoje circularam algumas possibilidades para as chapas de 2008: Giuliani contra Hillary seria uma boa pedida.  Mas é também comentada a disputa Romney contra Obama (um Mórmon contra um afro-americano).

A primeira disputa em Iowa hoje dará o tom para as primárias de New Hampshire na próxima semana.

Os comentários estão desativados.