Arquivo do dia: 19/02/2008

McCain: idade, guerra do Iraque e temperamento podem afastá-lo da Casa Branca

Aos 71 anos, o Senador John McCain nunca esteve tão perto da Casa Branca. Desde as convenções da Super Terça, no início de fevereiro, McCain ficou posicionado como o candidato dos republicanos, o partido do atual Presidente Bush. Para o eleitorado norte-americano, o candidato é a fênix desta eleição, depois de ter que despedir parte de seus assessores de campanha em 2007 e ser tido como possível desistente, os eleitores acompanharam a subida dele das cinzas.

Mas há pedras no caminho desta águia que surgiu das cinzas: sua idade pode atrapalhá-lo em frente a um candidato jovem como Obama, que vende muito melhor a proposta de mudança. Sua posição sobre a guerra do Iraque também é motivo de preocupação: enquanto McCain continua apoiando a guerra, o eleitor caminha em sentido oposto.

O temperamento é outro ponto fraco do candidato já apontado pelo New York Times no domingo passado. McCain tem histórico de explodir com assessores, gritar impropérios a colegas senadores e não exibe um porte presidencial adequado, segundo a imprensa. Mas tem se controlado ao máximo nesta campanha. A luta de seus assessores é contra seu temperamento explosivo até o final da campanha. 

E se a briga for sobre a economia, ele já disse que não entende nada. Não é sua praia.

Castro renuncia em Cuba

O Presidente cubano, Fidel Castro, renunciou hoje conforme carta publicada no jornal comunista Granma. São quase 50 anos de poder. Tempo demais para um líder que se aproveitou do clamor das multidões e instituiu políticas típicas do paredón.

Castro passou longe da democracia. O que mais soube foi sufocar qualquer tentativa de oposição. Deu aos cidadãos de Cuba o governo mais miserável que possa existir no mundo.

Sempre me envergonhou o fato da esquerda brasileira se espelhar no líder cubano como personalidade. Faz parte da miopia política nacional brasileira a adoração a tiranos.

Castro já vai tarde.