Arquivo do dia: 03/05/2008

Música de uma geração

A maioria das músicas que gosto têm um elo com uma geração, representam uma etapa na vida cultural dos Estados Unidos. Os anos 60 são repletos de músicas da era paz e amor, com a acentuada luta política e social contra a guerra do Vietnã. Esse tipo de música jamais pára de rodar. Bob Dylan é como vinho no meu paladar musica, quanto mais velho melhor.

A música das bandas de renome como Beatles e Rolling Stones roda direto nos Estados Unidos. Na minha concepção nenhuma das duas bandas de fato morreu, os sucessos continuam a rodar e revivem pela poesia das letras: YesterdayStrawberry Fields e Penny Lane, para citar algum casos, mas há muito mais.

A música como instrumento de revolução cultural não é nada de novo. Mas foi engolida pelo movimento pop dos anos 80.  Madonna, Cindy Lauper, Lionel Ritchie entraram numa era de puro romantismo deixando para trás os anos do psicodelismo musical que criou toda uma geração.

Se o rap é um avanço cultural, ele pouco bate na minha porta. Rap é música de festa, de agito. E é isso mesmo, dos anos 90 à atualidade produzimos música de festa e romântica, como se estivéssemos constantemente apaixonados e festejando. E, com  exceção das românticas, esquecemos de compor letra e música como Lennon e McCartney.

Para o sábado nublado de Boston com temperatura por volta dos 7 graus C, e para refrescar a memória dos internautas, uma palhinha de Caetano Veloso cantando London, London.