Arquivo do dia: 03/09/2008

Vice de McCain oferece riscos, mas partido está coeso

Sarah Palin é a vice na chapa de McCain mais badalada da história do Partido Republicano. A conservadora Palin era desconhecida até a sexta-feira passada do público nos Estados Unidos. Hoje ela vive dias de extrema expectativa e de questionamentos: o que levou McCain a escolher uma vice com menos experiência do que Barack Obama? Quais são suas credenciais para assumir um dos postos mais importantes do país?

Mesmo sem as respostas a essas perguntas, o certo é que o Partido Republicano deve mantê-la na chapa. De desconhecida à primeira mulher em uma chapa presidencial Republicana, ela passou a ter sua vida examinada 24 horas. E virou uma espécie de vítima da mídia.

Barack sabe disso. E já avisou que não tocará em questões familiares (“a família está fora disso”). Quanto mais Sarah Palin for investigada (não, ela não foi filiada ao Partido de Independência do Alasca, dizem os oficiais do partido agora), mais forte ela poderá se tornar.

Se ao levantar o assunto da gravidez da filha de 17 anos, algum líder Democrata pensa que estará lucrando, engana-se. Palin, como mulher, pode ter a chance que a ex-primeira-dama Hillary Clinton não teve. Por uma simples razão, ninguém tem dó dos Clintons, que acumularam poder, influência e dinheiro em seus dois mandatos e Hillary ainda é Senadora por Nova York, afinal de contas.

Quanto a Palin, seu charme e sua falta de desgaste perante o eleitor pode colocá-la como uma parceira ideal para o Senador John McCain. No fundo o que o Senador pelo Arizona quer dizer e que, enquanto Obama falou em mudança, não teve a ousadia de escolher Hillary como vice.

O importante nos dois casos é que os Democratas saíram coesos com o apoio dos Clintons a Obama na semana passada, e agora os Republicanos saem da Convenção coesos para apoiar Sarah Palin, custe o que custar.

(A candidata a vice na chapa de McCain fala na noite de hoje. A atenção está voltada a Saint Paul, sede da Convenção Republicana.)