Arquivo do mês: novembro 2009

Conheça os candidatos à vaga de Kennedy

O Boston.com traz um excelente perfil de cada um dos candidatos ao Senado. Depois do falecimento do Senador Edward Kennedy, a vaga ficou aberta e agora está preenchida temporariamente por um ex-assessor de Kennedy, Paul Kirk, que foi conduzido ao cargo por lei estadual especialmente aprovada para evitar que Massachusetts ficasse sem representação em Washington.

Mas a vaga de Senador será ocupada em caráter definitivo por um dos 5 postulantes ao cargo. Confira aqui.

As primárias acontecem no dia 8 de dezembro e a eleição geral em 19 de janeiro. A candidata democrata Martha Coakley, atual procurado do estado de Massachusetts,  tem mais chances de ganhar a disputa.

Foto: MarthaCoakley.com.

O Brasil decola, segundo a Economist

currentcoverus

Do jornalista Maurício Santoro:

“A capa da Economist desta semana é a “decolagem brasileira”. Para a prestigiada revista inglesa, o Brasil se destacou como o mais dinâmico dos BRICs, por conjugar democracia, estabilidade política e crescimento econômico, sobretudo pelo modo como se recuperou rapidamente da crise internacionais. A reportagem cita ainda a ascensão das multinacionais brasileiras e a conquista da Copa do Mundo e das Olimpíadas. Alerta, no entanto, para alguns problemas, como a violência. É uma matéria extremamente elogiosa, mas que, curiosamente, deixa de lado o que a meu ver são os principais obstáculos para o desenvolvimento brasileiro: a péssima qualidade da educação, a infraestrutura deficiente e as falhas em serviços públicos essenciais, como saneamento e saúde.

Na primeira metade da década de 2000, o Brasil teve um crescimento econômico apenas mediano, e além disso muito volátil. Entre 2006 e 2008 o país acelerou essa taxa, graças a uma série de fatores positivos: a demanda chinesa por commodities (as exportações brasileiras mais do que triplicaram nestes anos), a ascensão de uma nova classe média, as políticas públicas de valorização do salário mínimo e de transferência de renda etc. Tudo isso é muito bom, e rompeu-se o ciclo de marasmo que paralisava expectativas desde a crise da dívida externa, em 1982.

Mas não é suficiente para promover o desenvolvimento, isto é, a transformação estrutural da economia brasileira para tornar o país competitivo nos serviços avançados que são o setor mundial mais dinâmico. Áreas como tecnologia da informação, biotecnologia, pesquisa científica avançada etc. Para dar esse salto, o país precisa de uma população extremamente qualificada do ponto de vista educacional. Ora, nas avaliações mais respeitadas, como a PISA, o Brasil ocupa os últimos lugares entre as nações examinadas. E isso apesar de investir relativamente bem no tema – 5% do PIB. Poucos brasileiros têm acesso à educação nos níveis mais elevados. Menos de 10% cursam universidade, e em torno de 30% completam o ensino médio.

O resultado é que o Brasil já sofre do déficit de profissionais qualificados, pois a economia cresce acima das possibilidades do sistema educacional em fornecer mão-de-obra bem preparada. Em 2008, o IPEA calculou que o país precisa de 90 mil desses profissionais, em áreas como engenharia civil, agronegócio, tecnologia da informação e mercado financeiro. A Confederação Nacional da Indústria estima que mais da metade das empresas enfrentam esse problema. E isso com cerca de 9 milhões de brasileiros desempregados…

Os problemas na saúde pública e na infraestrutura brasileira são tão conhecidos que dispensam explicações demoradas, mas vale destacar a questão do saneamento básico. Recentemente examinei os dados do IBGE para o tema. São assustadores. Mais da metade da população não conta com sistema de esgoto, e apenas 20% dos resíduos são tratados antes de serem lançados nos rios ou no mar. Isso traz enormes problemas de saúde, é claro.

Em suma, o Brasil melhorou, que ótimo. Mas vamos vestir as sandálias da humildade e manter sob controle nossas ambições de grande potência: crianças que saiam da escola sabendo ler e escrever, e que tenham vaso sanitário em casa, são muito mais importantes do que…. Bem, do que qualquer outra coisa.”

O apagão e a repercussão nos EUA

O Brasil, ao levar a conquista da sede de dois eventos de cunho mundial, teve sua responsabilidade aumentada no cenário internacional. O site da revista Time trata sobre o apagão. Leia aqui.

Norah Jones parte para o estilo “pop”

Confira em “Chasing Pirates” a nova fase da cantora.

Celtics em ótima fase

O time de basquete de Boston continua encantando.

Democratas de Obama enfrentam testes nas urnas na próxima terça

As primeiras terças-feiras de novembro são sempre dia de eleição. Na próxima terça (3), Os Democratas enfrentam dois testes: um na Virgínia, onde possivelmente perderão e outro em Nova Jersey, onde o quadro está indefinido mesmo após o apoio de Obama à  reeleição de Jon Corzine (cor-záin). O republicano Chris Christie lidera por um ponto nas pesquisas (43 a 42).

Na Virgínia, o quadro é mais assustador: o republicano McDonnell lidera as pesquisas com ampla diferença contra o democrata Deeds (53 a 41).

 

 

Artigo de Fernando Henrique ataca “autoritarismo popular” de Lula

O ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso ataca as idéias do Brasil Potência defendidas por Lula e caracteriza o Presidente de autoritário.

Só para lembrar: os três estados do Sul do Brasil votaram em Alckmin para Presidente. Leia no Blog de Ricardo Noblat.