Arquivo da categoria: Europa

Bush está se decepcionando internacionalmente

Do blog de Pedro Doria, numa avaliação que eu concordo plenamente:

“Muito da presidência Bush se deu na base desta ‘confiança pessoal’. Outros a gozarem dela fora Vladimir Putin, da Rússia, e Tony Blair, do Reino Unido. Blair mostrou-se merecedor até o fim. Putin e Musharraf são a mostra de que Bush talvez não fosse tão hábil assim em suas avaliações. Musharraf fez um jogo duplo durante todo o período, enquanto, mesmo após a queda do Talibã, seu serviço secreto dava apoio à seita-guerrilheira no Afeganistão e até mesmo dentro de casa.”

Questão energética motivou a invasão da Geórgia pela Rússia

Ao invadir a Geórgia, o Primeiro-Ministro da Rússia Putin já tinha os olhos voltados para a dependência energética da Europa. Do ponto de vista estratégico, a cartada russa foi uma jogada de mestre.

Leia mais aqui.

Milioli na Itália

O comentarista da Rádio Difusora e da Transamérica FM mandou as primeiras notícias da Itália hoje. Milioli, que foi visitar sua filha, se surpreendeu com o frio europeu, conforme texto do Sul Notícias.

Elétrico Vermelho, Lisboa

electrico_vermelho-1.jpg

Foto: Rogério Goulart.

Divórcio de Sarkozy vira novela da mídia francêsa

Para os estadunidenses sempre pareceu óbvio: a França não se importa com a vida privada de seus líderes políticos. Com Nicolas Sarkozy na Presidência, tudo parece diferente. O líder francês, afirmam os jornais, está passando por uma grande crise no casamento.

A primeira-dama, Cecilia, deixou o palácio há três meses, e não tem sido mais vista ao lado do homem forte da França.  Sarkozy morre de amores por sua Cecilia e parece estar brusco e nervoso. Tenso, mesmo.

Mitterrand, Presidente nos anos 80, que manteve uma amante durante seus anos de governo, teve uma filha com ela, que só apareceu publicamente no dia do funeral do pai. Mas a França, por tradição, sempre se manteve desinteressada da vida privada de suas lideranças políticas.

Nos Estados Unidos, grande parte da presidência de Clinton foi usada para explicações sobre sua conduta com as mulheres. As “outras” eram sempre mais feias do que a esposa de Clinton, Hillary. Clinton, um dos homens com intelectual mais elevado entre os presidentes dos Estados Unidos, só tinha o gosto estragado. E uma amizade abalada com o ditador Fidel Castro, por conta do que fazia com charutos nas horas vagas.

Gordon Brown: primeiro-ministro não abre diálogo claro com a sociedade

O primeiro-ministro Gordon Brown amarga críticas severas, dentro e fora do partido, por alimentar esperanças de que permitiria uma eleição de avaliação de seu governo ainda em 2007, e no final de semana, quando percebeu a possibilidade de derrota, afirmar que não haveria eleição.

No início da semana Gordon Brown pede que o povo lhe dê mais tempo para prová-lo como primeiro-ministro. 

O primeiro-ministro britânico pode marcar pontos ao trazer as tropas hoje no Iraque de volta para casa.

Aos leitores de Londres

Aprendi muito da língua inglêsa escutando a BBC em ondas curtas, direto de Londres. Amo aquele sotaque britânico que suprime o “r” das palavras (“car” é “caa” por lá) e imprime um certo refinamento nos diálogos.

O Blog que você está lendo é leitura de muitos brasileiros em Londres, que agora vive a era Gordon Brown. De longe, internacionalmente, os britânicos vivem uma época um pouco apagada com a saída de Tony Blair, que ocupava o noticiário mundial com frequência.

Um abraço aos leitores de Londres, e boa leitura! Cheers!

Show das Spice Girls tem ingressos esgotados em 38 segundos na Inglaterra

Mais de um milhão de pessoas se registraram para o show das Spice Girls em 15 de dezembro deste ano. No e-Bay já aparecem ingressos ao preço de 750 libras.

Comenta-se que as Spice Girls tem o preço de um ingresso cotado em mil dólares nos Estados Unidos.

É prova de que as “meninas” estão com tudo e antes do final do ano devem sair com um novo sucesso nas paradas britânicas e norte-americanas.  

A diferença entre Nova York e Paris

A Big Apple é uma das minhas cidades favoritas. Não pelo barulho, nem somente pelos pontos turísticos. Mas pelo ar comospolita, pela multidão nas ruas e pelo ar de novidade na Times Square (é bom lembrar que o lugar foi palco de muitos bares de strip-tease até 2004). Os telões nos prédios, as pessoas de todos os lugares nas ruas e os táxis amarelos cortando o transito, esses sim me impressionam. E tudo acontece em Nova York.

Porém o ar parisiense de barzinhos nas calçadas, ao ar livre, Nova York não tem: aqui tempo é dinheiro, e com tanto carro nas ruas você é o candidato certo para ser borrifado com o ar da descarga dos carros e incomodado com o barulho de caminhões em marcha a ré.

Estamos vivendo o que se chama de Indian summer, o verão já foi, as temperaturas abaixaram um pouco, mas o termômetro está novamente em 25 graus C com umidade do ar sufocante. O que era para estar fechado devido ao clima frio, ainda está aberto (exceto a minha piscina, ela fechou no início de setembro).

Em Roma, Barcelona e Paris os cafés ao ar livre tem um propóstio de existência, tem ar fresco e tem uma vista bonita.

Na cidade do if you can make it here you can make it anywhere (se você pode fazer acontecer aqui, você faz em qualquer lugar) , há 900 cafés nas calçadas. Houve um aumento de 25% referente ao ano passado. E isso mostra que a cidade está preferindo mostrar sua cara nas ruas. 

Diferente dos cafés abertos na Europa, os daqui separam o grande público do restaurante por uma grade e as mesas são muito próximas umas das outras.

Na cidade em que as batatinhas fritas, French fries em inglês, viraram Freedom fries após o 11 de setembro devido a um certo antogonismo com os irmãos franceses, vale a pena a liberdade (freedom) de imitar os europeus.

Direto de Londres: José Dal Toé estréia no site da Engeplus

Além desse seu servo na Rádio Criciúma, e da colunista da Itália Néia Pavei, tenho a honra de apresentar aos internautas o colunista do site da Engeplus, José Dal Toé.

Li e recomendo! Clique aqui para ler.