Arquivo da categoria: Política

A influência de Biden na política externa dos EUA

Matéria  do New York Times de março aponta a influência do Vice-Presidente Joe Biden nas questões políticas internacionais dos EUA. A matéria ressalta a parceria entre Biden e Kerry, iniciada quando ambos eram senadores no Comitê de Relações Externas do Senado.

biden

Antes da visita de Obama a Israel, Biden visitou a região preparando o caminho para a chegada do Presidente.  Em decisões sobre o Afeganistão ou a Síria, o Vice tem compartilhado as idéias de uma política “menos agressiva e mais cuidadosa”.

As relações com a China também estão na pasta de Biden, que tem cultivado laços com o Secretário Geral do Partido Comunista. 

A visita à América do Sul, que também incluiu a Colômbia,  está acontecendo depois que o Secretário de Estado John Kerry se referiu à região como o “quintal” da política externa norte-americana

Entre os assuntos que Biden deverá abordar sobre a parceria Brasil-EUA está a questão energética: a agenda de hoje tem espaço para a Petrobras.

Foto: Embaixada do EUA.

Idade poderá ser um problema para os Democratas em 2016

Os dois principais candidatos para a Casa Branca em 2016 têm algo em comum: estão chegando os 70. O atual Vice-Presidente Joe Biden e a ex-Secretária de Estado Hillary Clinton são os favoritos.

Se a Biden é visto como o herdeiro natural de Obama, a presidenciável Hillary ainda tem um grande número de eleitores fiéis dispostos a depositar seus votos nela.

Biden visita o Brasil no final de maio com o objetivo de mostrar a importância da  América Latina nesse segundo mandato de Obama.

Obama em baixa, Hillary em alta

O governo Obama cruza uma linha perigosa. Perto de 2 anos de mandato, com duas reformas aprovadas, uma na área da saúde e outra na área financeira, o Presidente Obama caminha hoje com 43%  de aprovação, abaixo dos 70% de início de mandato.

É uma pena que Barack Obama, o 43o Presidente dos Estados Unidos tenha assumido a Presidência arrumando a vida dos bancos, que acabaram o mandato Bush quebrados e falidos. O primeiro presidente afroamericano acabou herdando o déficit dos 8 anos de Partido Republicano.

O avanço mais forte da administração foi as relações externas. Foi ali que Obama mais acertou. E seus acertos podem ser compartilhados com a companheira de partido Hillary Clinton, hoje Secretária de Estado e com prestígio de sobra entre os aliados do primeiro escalão.

Hillary tem um grande trunfo na mão. A Sra. Clinton pode estar abrindo espaço na agenda para se tornar a próxima estrela do Partido Democrata. Não parece, hoje, que Obama queira disputar uma reeleição. Nas próximas eleições o Presidente poderá sofrer derrotas com consequências desastrosas dentro do Congresso.

Sem maioria nas duas casas, o Presidente poderá parar sua onda de reformas.